Showcases

7 Companhia/artistas apresentam extratos de 15 minutos de seus espetáculos, com legendas em inglês: Alvise Camozzi | Dual Dança Contemporânea | Núcleo Negro de Pesquisa e Criação (NPPC) | Grupo XPTO | Cia Artera de Teatro | Laboratório de Técnica Dramática | Grupo Impacto de Dança

Companhia/Artista Alvise Camozzi

Espetáculo VOID

Void é um espetáculo brasileiro criado por artistas que vivem realidades teatrais diferentes: Alvise Camozzi é um artista italiano residente há anos no Brasil, Beatriz Sayad é uma artista brasileira que trabalha com a companhia suíça Finzi Pasca, Letizia Russo é uma dramaturga italiana continuamente em transito entre países e culturas, dirige o máster de dramaturgia da Biennale Teatro de Veneza. Void é um espetáculo que se apropria de um episódio de crônica acontecido em 1987 (um desastre radioativo) e o expande de maneira poética para refletir sobre as formas de alteração ou aniquilamento da nossa memória individual e coletiva. A estética do trabalho, composta por uma arquitetura dramatúrgica rizomática, é fortemente musical. Por suas caraterísticas multilinguísticas (o espetáculo pode ser apresentado em italiano ou em português) e pela temática, politica e social, que nos põe á frente de uma das questões que achamos fundamentais do nosso estar no mundo contemporâneo: as formas de heterodireção através das narrativas de poder; propomos o trabalho como espetáculo que possa ser apresentado no circuito internacional.

Ficha técnica do showcase:
Alvise Camozzi |  Daniel Maia | Danielle Meireles | Hideki Matsuka | Dora Leão.

Facebook
Instagram

Companhia/Artista Dual Dança Contemporânea

Espetáculo Duo para dois perdidos

Baseado no universo do texto teatral “Dois Perdidos Numa Noite Suja”, do dramaturgo brasileiro Plínio Marcos, o espetáculo de dança Duo Para Dois Perdidos aborda a relação entre dois mundos corporais extremamente distintos em choque e diálogo a partir de suas singularidades.
Investigando elementos da cultura hip hop, os dois bailarinos propõem uma escrita dramatúrgica que descola a superfície da realidade para questionar os padrões de corpo e os lugares da deficiência, revelando o brilho do ser humano em sua condição essencial.
Desde 2011, a DUAL cena contemporânea realiza trabalhos artísticos a partir de mitologias e fenômenos históricos relacionados à cultura brasileira. Ao longo de sua trajetória, participou de importantes mostras e festivais de teatro e dança nos Estados da Bahia, Amapá, Ceará, São Paulo, Pará, Minas Gerais e Rio Grande do Sul e nas cidades de Santa Cruz de la Sierra e La Paz, na Bolívia.

Bailarinos: Direção: Ivan Bernardelli

Bailarinos : Ivan Bernardelli  e  Hélio Feitosa

Produção: Mônica Augusto

 

Companhia/Artista Núcleo Negro de Pesquisa e Criação (NNPC)

Espetáculo Fala das Profundezas

Primeira peça da trilogia intitulada de Escombros. Apresentando outras vozes e outros corpos com os seus pontos de vista sobre a história, assumindo a autoria de narrativas e fabulações que desestabilizem nosso imaginário coletivo, abrindo-o para novos possíveis.
Para que outros da história – Nós, os que participando da história nunca puderam contá-la oficialmente – possam refletir e narrar as suas próprias experiências como sujeitos políticos, partindo do olhar do corpo negro para falar sobre questões que a todos os corpos atravessam, transitando entre observar o passado e reescrever o presente em um jogo ficcional que encontra no teatro, agenciado com outras linguagens artísticas, à sua plataforma poética primeira.

Dramaturgia, Direção e Concepção do projeto Escombro  Gabriel Cândido
Atuação Deni Marquez, Ellen de Paula, Fábio Lopes, Maria Gabi e Tásia d’Paula
Sonoplastia e Direção Musical Jéssica Melo
Iluminação Natália Peixoto
Assistência de Direção Ellen de Paula
Produção Lucas Ferrazza

Facebook
Instagram

Companhia/Artista Grupo XPTO

Espetáculo OROBORO

Espetáculo sem palavras, com temática universal, de fácil montagem e possuidor do forte apelo visual e musical próprios das montagens da companhia. OROBORO estreou em Nova Deli – Índia em fevereiro de 2019, e fez curta temporada no SESC Pompeia em março e abril. A linguagem do espetáculo dirige-se tanto ao público adulto como ao infantil, conferindo grande versatilidade para a inserção da obra em programações específicas.

Em 35 anos de carreira, o XPTO tornou-se referência ao desenvolver uma linguagem híbrida que reúne de modo peculiar diversos elementos das artes cênicas. Apresentou-se nos seguintes países: Argentina, Uruguai, Venezuela, Colômbia, Espanha, França, Portugal, Iugoslávia, Hong Kong, Cuba e Índia. Recebeu, ao longo de sua trajetória, 41 dos mais importantes prêmios do teatro brasileiro e também premiações internacionais.

Diretor artístico e iluminador Osvaldo Gabrieli
Diretor musical e músico Roberto Firmino
Atores Bruno Caetano, Tay Lopes, João Bernardes e Ozamir Araujo

 

Companhia/Artista Cia Artera de Teatro

Espetáculo Bug Chaser – Coração Purpurinado

Bug Chaser gira em torno de Mark que está em uma quarentena sendo analisado por uma voz, um programa de inteligência artificial. Em fragmentos a peça conta a sua busca em se infectar com um vírus propositalmente.
Imagina um futuro distópico. Agora, um homem que se lança ao risco em uma cidade dividida. Sexo instantâneo, pequenos suicídios no sigilo. O vírus aqui aparece como metáfora de um mundo adoecido pelo consumo, relações incompletas, liquidas de Bauman. Imagina um advogado criminalista na fila do transplante de coração, cantando sua solidão em um Karaokê, tendo o sexo como mote para aliviar a sua angustia implacável, em flashbacks vai em busca da amostra reagente. Ele quer se contaminar com as purpurinas. Imagina um texto que contamina a sua vida e se transforma por meio do contato real com homens que se dispuseram a falar sobre bareback e o HIV. Fetiche ou ação política? É tão maior. Imagina um coração no meio de tudo isso criando, o mundo em caos, intolerância, o não afeto. Lâmpada vira lembrança. Aleppo. Mar. Infância. Mickey Mouse. Cabelo azul. Imagina um homem buscando pertencimento como qualquer um de nós. Imagina um ator, um dramaturgo sangrando ficcionalmente todos os dias em cena com um rato atrás da privada. Imagina um novo capítulo do HIV. Talvez esse texto não dê conta de falar de tudo. Talvez o caminho seja achar no submundo um lugar azul, permeado por profilaxias cotidianas. Essa peça tem o peso de um coração. De um sonho. Imagina. Todas as veias levam ao coração.

Dramaturgia e Interpretação Ricardo Corrêa.
Direção Davi Reis.
Voz máquina ao vivo Roberto Rezende.
Iluminação Fran Barros.
Operação de som e vídeo Viviane Barbosa e Flavia Servidone

 

Companhia/Artista Laboratório de Técnica Dramática

Espetáculo As Três Uiaras de SP City

Cínthia e Miella moram em SP City, onde trabalham em salões de cabeleireira, fazem programa, e performam em boates. Elas decidem fazer um show musical e conseguem agendar a primeira apresentação. Para viabilizar a infraestrutura tentam se associar a Valéria, militante feminista. Mas a Operação Rondão, comandada pelo delegado Rochetti, agrava a já violenta realidade das travestis/mulheres trans e prostitutas da região, prendendo-as e agredindo-as. Um texto transtemporal, entre a década de 80 e a atualidade. A peça foi vencedora do III Prêmio de Dramaturgias em Pequenos Formatos Cênicos e estreou no Centro Cultural São Paulo, em 2018. O objetivo desse showcase e a realização de turnês, nacionais e internacionais da peça.

Texto Ave Terrena Alves
Direção Diego Moschkovich
Elenco Danna Lisboa, Diego Chilio e Verónica Valenttino (em vídeo)
Operação de luz Fly Góes
Operação de Som Gabriel Barbosa
Operação de Vídeo Luciana Ramin

@labtd/ @diegomoscou
Facebook Diego Moschkovich
Facebook Labtede 

Companhia/Artista Grupo Impacto de Danças Urbanas

Espetáculo BaoBas

O Grupo Impacto é formado por jovens artistas, negros, moradores da periferia que se formaram através de projetos sociais e se profissionalizaram na dança, acreditando no poder transformador da arte e querem, através de seu espetáculo autoral, contar sua historia para o mundo.
Em 2018 o Impacto se apresentou e marcou uma forte presença brasileira com o espetáculo “Três Gritos” em importantes festivais na Bélgica e na Holanda. A primeira vez do grupo no exterior foi um grande marco em sua história dando início a novas possibilidades para o grupo que segue trabalhando e buscando seu espaço.

Direção Patricia Lima e Lidiane Jacinto
Bailarinos Adriano Ramos, Alex Ramos, Cleison Lana, Felipe Viana, Jean Carlo do Nascimento, Luís Filipe Claudino Gomes, Marco Antônio de Jesus, Rafael Gregório, Rafael Tiko, Sávio Caetano .

Facebook
Instagram  @grupoimpactovicosa
Flickr
Vimeo

 

 

 

 

 

 

 

Showcases

06 jun
14:00 - 16:00
Restrito a inscritos
SESC 24 de Maio
R. 24 de Maio 109 | República | São Paulo - SP